Ser podre não é um estado de espirito


Oi meus amores!

Já tava com saudade de vocês, mas pelo visto a Fau tá mandando ver aqui, né?

Hoje eu queria conversar só, mais uma vez. Não que eu não tenha nenhum produto pra resenhar, mas porque certas coisas me dão nos nervos.

Não conheço, infelizmente, todo mundo que lê o TPM… Mas queria saber se vocês tambem passam por isso e eu não tô sozinha.

Eu odeio perder amigos. Não colegas, conhecidos – amigos esmo, daqueles que eu faria qualquer coisa pra ver felizes. Várias pessoas que passaram na minha vida e fizeram qustão de ir embora não tem ideia do valor que elas tinham pra mim. Elas usam desculpas idiotas, falam mal de você pelas costas, e como você simplesmente não revida os outros acham que você tem “culpa no cartorio”. Boatos, fofocas, historinhas, tudo começa a te infernizar, sem motivo.
Coisas que voce nunca pensou que diriam sobre você viram quase fatos nas bocas das pessoas, e você sente que não tem mais amigos…
Tem como ensinar pras pessoas o valor de uma amizade? Tem como enfiar na cabeça delas que é sempre melhor ter um parceiro do que um inimigo?
Eu decidi que quem me conhece já sabe o suficiente pra não acreditar nessas coisas, e continuar na minha. Infelizmente não é porque as pessoas acreditam em Deus que elas são santas, ou porque elas visitam orfanatos que são sensiveis. A hipocrisia não é mais um defeito hoje em dia, parece um pré-requisito pra ser popular/queridinho.
Valores hoje em dia, só do dinheiro. É nisso que as pessoas crêem – e não importa quantos salmos saiam da bocas de gente assim, na cabeça delas passa muita coisa que não presta.
Não vou me fechar pra ninguem, só espero que isso me deixe atenta, porque não é a primeira vez nem nesse semestre, quanto mais na minha vida, que alguem me decepciona…

Pois é, aprender a ver o coração em vez de ver a carinha de inocente pode me ajudar da proxima vez… o dificil é manter a fé nas pessoas boas quando alguem te faz ver tudo do podre que alguem pode ter, dentro de uma cabecinha só…

Cuidado com em quem vocês confiam, e cuidem de quem vale a pena!

Beijocas da tia Mariana 🙂

Nova autora – Flávia


Oi gente! Entrei nessa onda de blogar há um tempo. Escrevia no blog Se Assunte, Menina, mas acabou que as coisas não estavam indo como eu desejava.

Fiz a proposta a Mari para que a gente pudesse escrever juntas, e ela me convidou para ser autora do blog dela, agora nosso.

Meu foco costuma ser mostrar swatches de batons e resenhas de produtos capilares. Espero que consiga mostrar coisas legais pra vocês.

Vou transferir pra cá integralmente alguns posts que escrevi no outro blog, que considero importantes.

Esperamos que vocês gostem mais e mais, agora com novas mudanças!

Beijos!

Flávia. =)

Dia dos Namorados


Bom, pra quem não sabe, eu namoro o Victor e a gente tá junto, entre tapas e beijos, há quase 5 anos.

Nesse tempo eu já tive que me virar em 550 pessoas pra ter ideias geniais de presentes maravilhosos, porque mulher é idiota mesmo e se alguem disser que amanhã é o dia do ficante vão ter 100 milhões de mulheres se descabelando hoje pra comprar um presente legal, e depois de amanhã é o dia do marido e algumas infartam, e depois é o dia do pretendente e outras morrem.
Por que isso, né? Um dia… Eu digo que amanhã é o dia do papagaio, que diferença isso faz? Nenhuma, a menos que você tenha um papagaio (o que é muito feio, pare de comprar animais silvestres porque você não é a mãe natureza ¬¬) e aí você faz um bolinho de alpiste e ele fica sem saber porque a comida dele tá esquisita. E pronto.
A gente é assim por uma necessidade de fazer o outro saber que a gente se importa, que a gente quer cuidar, amar e estar aqui mesmo.
Mas será que entupir seu namorado ou namorada de presentes é o unico caminho?
Faz um tempo que eu estou adepta das manufaturas. Aquela coisinha fofa, handmade, que você fez e dedicou seu tempo pensando nele – um cartão, um bolo, uma caixa decorada com fotos, um cd das musicas de vocês, um jantar… Algo que te transforme em essência do presente, sabe?
Acho isso tão bonito que tenho tentado me aproximar do meu delicio (sim, delicio, d-e-l-i-c-i-o) fazendo programinhas de casal unido e estável, tipo cozinhar um jantar ou desmontar o quarto dele inteiro pra montar tudo de novo de outro jeito.
Não to dizendo que dar perfume, joia, roupa, sapato, boné ou qualquer outra coisa seja bizarro e condenável, quero só te fazer pensar diferente.
Ele gosta de alguma marca? Ótimo, dê uma camisa, mas com um cartão! Ele gosta de um DVD, faça um bolinho ou uma comidinha e assistam ficando gordinhos!
Ele quer alguma coisa e você sabe o que é? Decore a embalagem, escreva poemas, fotos, recortes… FAÇA VOCÊ MESMA! A mulher da loja que ta embalando o seu presente, não importa quão lindo fique, vai fazer vai um monte de embalagens iguais pra outras pessoas iguais, seja diferente!
Enfim, eu resumi tudo que eu queria dizer ali em cima, mas reflita novamente “deixe a essencia do presente ser você”, porque camisa, meia, cueca, perfume, tenis e o escambau qualquer pessoa pode dar, eu quero ver é ele achar alguem que faça aquele bolo de laranja com chocolate tão bem, ou que escreva uma carta com sua letra e suas palavras, que tenha feito curso de massagem pra aliviar aquele dia estressante dele, ou que passe dias pensando em musicas pra ele lembrar de você pra sempre. É isso, as memórias, a sua singularidade, que ele gosta. Dê isso pra ele 🙂

Claro que eu tenho ideias e novidades pra que você dê um presente bacana pro seu lindinho, mas isso fica pra semana que vem. Por enquanto, pense no que você vai dar de você mesma 😀

Beijinhos!

Um motivo pra sorrir:


Da ultima vez, escrevi de forma superficial sobre os tipos de pessoas que encontramos na vida – e que nos fazem muito mal.
Mas de repente, sem mais nem menos, percebi que estava olhando as coisas de uma forma imparcial e pessismista. Tudo conversando com Sâmia, que me disse ter feito uma mudança na vida dela que resultou em uma melhora de vários aspectos da vida dela, inclusive a pele!
Ver as coisas de um jeito mais simples, procurar saber a resposta pra uma angustia, e saber notar os amigos que chegaram e os que ficaram, em vez de se decepcionar dia apos dia com os falsos amigos.


Ser um otimista não quer dizer viver com um sorriso estampado no rosto, irritando as pessoas que tem motivos para estarem tristes. Ser otimista é saber a causa do sofrimento – quando houver – e erradicá-la. É ver que a vida muda porque aprendemos a ser fortes, e as pessoas que nos decepcionaram são mesquinhas e pequenas, mas você pode perdoá-las porque isso te tornará mais feliz a longo prazo. Quando o mundo parece estar de costas pra você, talvez você esteja tendo uma postura errada, e se seus medos te impedem de seguir, ao menos encare os problemas de frente!
Eu lembro que, quando eu tinha perto dos 7 anos, conversando com meu pai, eu disse que estava cheia de problemas (isso aos 7 anos, imagine!), e meu pai me virou, pegou minha mão e ajoelhou pra ficar do meu tamanho e me disse que os problemas tem o tamanho que eu dou pra eles. E aquela cena, quase de cinema, me segue até hoje. Porque os problemas contados de forma dramatica convencem os outros e podem inclusive te convencer de que você é triste, mas diminuir os problemas e sorrir pra eles tambem te mostra que a vida é curta demais pra se deixar abalar por quem nunca te fez diferença e que você superestimou! As vezes sentimos mais falta do tempo e da energia que gastamos com alguem, do que da pessoa em si!
Eu espero que tenha me feito entender corretamente: Quero que todos sejam felizes e que paremos de nos importar com quem já não pode mais nos ferir, e que saibamos a hora de sorrir pra quem nunca nos deixou cair!

Otimismo: Serviu pra Sam, que é uma pessoa que pretendo levar pra sempre comigo, e está servindo pra mim. Seja otimista você tambem, que faz bem pra beleza, ahahahaha 🙂

Lembrando o Barney Stinson de “How I met you Mother”:” Whenever I’m sad, I stop being sad an start being awesome instead”

“Quando estou triste, eu paro de ficar triste e começo a ser incrivel em vez disso”.

Beijos!

Amizade


Então, hoje não vou falar sobre beleza – TCHARAM!

Seria tão simples né? “Eu te cativo, tu me cativas”, Pequeno Principe e PÃ, temos um circulo enorme de pessoas maravilhosas que sempre podemos contar, e que guardam nossos segredos como pequenas jóias valiosas que não devem ser mostradas à ninguem.
Eu acredito na amizade, mas hoje em dia é dificil aceitar as pessoas como elas são. E elas são bem ruinzinhas mesmo, não interessa a cor, classe social, sexo, passado, presente, futuro – não interessa MESMO. Em cada casa se vê gente que não presta.
E se vê gente que presta muito, mas acaba se deixando levar pela enorme massa de gente que prefere falar mal, fazer mal, pensar mal e querer mal do que ter um amigo. E isso tem motivos.

Ter um amigo não é fazer um amigo – amigos maravilhosos se perdem quando você menos vê. Ou ficam escondidos esperando a hora de agir milagrosamente na sua vida chata… Mas é muito dificil “ser” um amigo. Você pode ser a pessoa que alguem está precisando no momento, sem ser amigo. Voce pode ser a ultima pessoa que alguem quer ver, e ser seu melhor amigo. Mas o ser amigo é bem complexo: É aceitar o outro, entender, respeitar, cuidar e se trocar quando preciso, sem perder sua identidade. O mundo tá carente de amigos.
Todos temos colegas, conhecidos, mas lembre-se de quantos amigos você tinha quando era criança: 10? 20? 30? Você nem tinha palitinhos pra contar quantos eram? Pois bem – é porque quando se é criança as expectativas são baixas: Você não tem que andar com o mais bonito, nem com o mais popular. Você tem que andar com quem não tem lapis de cor, pro desenho do outro não ficar descolorido. Você não tinha que achar alguem disposto a falar mal das mesmas coisas, você precisava de alguem que salvasse você quando todos te entregavam no pique-esconde.
Não era o máximo? Não ter que se esconder, não ter medo de nada, não desconfiar de ninguem… E rir de tudo!
É assim que eu procuro minhas amizades, da mesma maneira que eu encontrei a Bruna – ela foi a minha heroína do pique-esconde, quando eu já era grandinha demais pra isso. A Bruna é a maior prova de amizade que eu trago na minha vida. Ela me viu alem do que todo mundo via, e me aceitou. E as historias incriveis ficavam mais incriveis e quando eu dormia na casa dela a gente mal podia dormir no meio de tanta gargalhada. 
Hoje eu tenho amigos maravilhosos, um melhor amigo que é meu escudo (embora as vezes precise de uns remendos…) e pessoas lindas que conheci, mas não creio que vá ter outra Bruna.
Porque as pessoas de hoje querem dinheiro, roupas, contatos. Todo mundo diz que precisa de um amigo e despreza quem aparece.
Hoje em dia amizade é uma palavra muito forte pra designar sentimentos muito fracos, vindos de pessoas mesquinhas que jamais seriam a Bruna de alguem… Porque se hoje em dia, até os brinquedos, carros e roupas estão mais frágeis e quebram no primeiro uso, é pra mostrar que a gente virou uma sociedade que diz e compra “pra sempre”, mas troca tudo que quebrou pra dizer que tem um novo modelo.

Image

 

Vamos consertar nosso relacionamento com os velhos amigos! Quantas boas lembranças a gente perde procurando quem se adapte às nossas expectativas…

 

Beijos!
 

Ajudem a melhorar o blog, amores!


Como vocês viram, eu mudei o layout e fiz uns ajustes bobos. Estou pensando em mudar o nome do blog e registrar o dominio com algo que seja mais a minha cara, mas isso é pra pensar depois. Por enquanto eu só quero saber se preferem esse layout ou o antigo!

Beijocas!